4 de jun de 2012

Snuff Film


A pergunta que não quer calar: Snuffs films existem ou não existem? Eis uma questão. Films Snuffs são filmagens amadoras que mostram assassinatos reais, sem nenhum auxilio de efeitos especiais, cujo proposito seria a distribuição para entretenimento e ganho financeiro. A existência de tais filmes é considerado uma lenda urbana, pois é quase impossível se distribuir esse tipo de material (por motivos óbvios). Porém assassinatos registrados em vídeo não são tão raros assim...


Errata: essa fonte não permite acentos, cedilha ou til.

O termo film snuff surgiu no livro The Family: The Story of Charles Manson's Dune Buggy Attack Battalion, de Ed Sanders. Ele alegou que a família Manson pretendia realizar um filme com as filmagens dos assassinatos no caso Tate-Labianca. Segundo o Slang Dictionary, de 1874, Snuff seria, uma gíria usada entre as classes baixas de Londres, significaria morrer em um acidente ou doente. A palavra descende de "snuffen" ou "snuppen", que por sua vez, veio de "snithan", que no inglês antigo significava algo como "matar cortando".

Snuff Film X Assassinatos gravados.

A descrição de Snuff pra homicídio gravado é diferente. Todo Snuff é um homicídio gravado, mas nem todo homicídio gravado é Snuff. Snuffs são vídeos registrados pelos próprios assassinos, visando obter lucro financeiro, sendo destinado ao entretenimento de terceiros. Homicídios gravados geralmente são de cunho jornalistico, não intencionais e seus autores não têm ligação com o registro da cena. O mesmo acontece com vídeos gravados por assassinos, que de alguma maneira, são vendidos por terceiros. Em um filme Snuff, a venda da gravação é o motivo da morte. Em outras palavras: não há outro motivo para o assassinato do que a obtenção de lucro com a venda do registro em vídeo.


Vídeos de acidentes.

É comum, quando há uma grande catástrofe, como incêndio em edifícios, os jornais acompanharem tudo passo-a-passo. Muitas vezes, matérias exibidas ao vivo, logo sem edição, às vezes é exibida uma cena de morte. Não é Snuff...

Vídeos de guerra.

Existe uma grande quantidade de vídeos mostrando execuções e mortes no fronte de batalha, em especial vídeos da Segunda Guerra Mundial. tais vídeos foram realizados com a finalidade de registro, mais tarde, seriam usados em inúmeros documentários. Por motivos já citados acima, tais vídeos não são Snuffs. O vídeo abaixo mostra a execução de dois homens durante a Segunda Guerra.

  video 


Atentados filmados.

O assassinato do Rei Alexandre I da Iugoslávia foi um dos primeiros a serem registrados em vídeo. É óbvio, ele não pode ser considerado Snuff, uma vez que o câmera-man não tinha nenhuma ligação com o crimes (ele apenas estava registrando o desfile de Alexandre) e que a filmagem foi usada somente para fins informativos, não para destribuição.


video


Logo após, temos o assassinato de Jonh Fitzgerald Kennedy, morto enquanto desfilava em carro aberto, ao lado de sua mulher, em Dallas, Texas, em 1963. O vídeo a seguir mostra o momento exato em que Kennedy é alvejado na cabeça por um atirador armado com uma sniper. Também não é Snuff...

video



Documentários Mondo.


Na década de 60, surgiram os Mundo Film, documentários um tanto sensacionalistas, com assuntos considerados tabus, como nudez e sexo, violência contra animais, rituais estranhos e todo tipo de assunto evitado em conversas na época. Apesar de alguns filmes anteriores já abordarem tais assuntos, o italiano Mondo Cane, de 1962, é conhecido como o pai dos Mondos. Nos anos 70 (mais especificamente em 1972), surge a famigerada série Faces of Death (Faces da morte), sem dúvida o documentário apelativo mais conhecido. Ele foi banido em vários países devido seu conteúdo gore extremista. Faces da morte mostrava a morte de várias formas, desde acidentes a suicídios e assassinatos. Os produtores, mais tarde, confessaram que os assassinatos eram falsos, porém as cenas de autópsias, acidentes e suicídios eram reais.

Posters de Face of Death

Cannibal Holocaust: O Caso Deodato.


Em 1980, o filme Cannibal Holocaust (BR. Holocausto Canibal) do italiano Ruggero Deodato, ganhou destaque entre um subgênero apelativo do cinema italiano: os filmes de canibais. Cannibal Holocaust foi o primeiro a reverter o papel de vilão e mocinho, colocando homens "civilizados" cometendo atrocidades em nome do sensacionalismo.

Na trama, um antropólogo que leciona na Universidade de NY, Harold Monroe, recebe a tarefa de ir até a floresta amazônica, resgatar um grupo de 4 (quatro) jovens cineastas. Eles estavam desaparecidos a mais de 6 meses. Harold, com ajuda de Jacko Losojos e Miguel, consegue chegar até as aldeias das tribos Yacumos e Yanomamos. Lá, ele encontra os cadáveres dos 4 jovens e as latas de fitas de vídeo usadas por eles. Ao rodar o conteúdo do que restou das fitas, Harold se depara com as cenas das violentas mortes, todas motivadas pelas atitudes desordeiras do quarteto, na verdade, quinteto, se contarmos com o guia, Felipe Ocañya, morto por uma picada de cobra (ou hemorragia, pois sua perna foi cortada) no meio da aventura.

A primeira controversa que o filme gerou foi a quantidade de animais mortos (de verdade) diante das câmeras; A segunda controversa, foi o sumiço dos atores. Isso fez com que muitos achassem que Deodato havia dopado a todos, matando-os em seguida, ou utilizado cenas reais, adquiridas de alguma forma. Tudo isso devido aos efeitos bem realistas.

Deodato foi detido, suspeito de cometer assassinatos (além das acusações de maus tratos). Mas tudo foi esclarecido quando os 5 atores que participaram do filme participaram de um programa de televisão, afirmando que tudo não passou de um mal entendido, e que eles estavam bem vivos. Deodato havia feito um acordo com todos, para que nenhum deles aparecesse na mídia. O contrato foi quebrado depois que Deodato foi denunciado. Sobre os animais mortos, Deodato afirmou que todos (tirando a imensa tarantula e a serpente) foram usados na alimentação dos atores. Mesmo assim, Ruggero Deodato foi impedido de fazer filmes por um tempo (acredito que ele não tenha cumprido essa ordem).

Polêmica cena do empalamento: Segundo o diretor, ela custou 10 dólares e foi feita com dois pedaços de pau e um banquinho de bicicleta infantil. A cena teria sido refeita no tribunal.

A série Guinea Pig.

Japoneses são bons em fazer filmes, principalmente de horror, disso ninguém duvida. Mas o que poucas pessoas sabem é que os japoneses dão responsáveis por uma das séries mais controversas da história do cinema: Guinea Pig.

Guinea Pig é uma série de 6 curta metragens, com 40 minutos em média cada um, com temas controversos e bizarros, entre eles um homem que não consegue se suicidar, um sujeito que encontra uma sereia, um grupo que tortura uma jovem e etc. Falarei aqui só dos dois primeiros, pois eles foram feitos para parecerem Snuffs...

O primeiro filme da série, Guinea Pig: Devil's Experiment, é feito para se parecer um Snuff (apesar das cenas filmadas de várias câmeras, muito diferente do que acontece na maioria dos filmes amadores). Não há um cast e não há um roteiro detalhado, como acontece até mesmo em B-movies. No filme, uma jovem é sequestrada e torturada. Isso envolve espancamentos, banhos com óleo fervente e contato com tripas de animais e vermes. No fim, vemos (com grande aumento) o olho da jovem transpassado por uma imensa agulha.

As cenas doentias de Guinea Pig: Devil's Experiment.

Já o segundo filme da série, Guinea Pig: Flower of Flash and Blood, Uma moça (com belos sapatos vermelhos) é sequestrada enquanto voltava do trabalho. Ela é levada até o cafofo de um homem louco, vestido de samurai (cujos dentes são uma podridão só). Ele dopa a menina e começa a esquartejá-la: Corta as mãos, os antebraços, pés e assim por diante. Todo é registrado de perto pelas câmeras. a cada estágio das mutilações, o samurai maluco recita "poeminhas" e acende luzes de diferente cores. Ao fim, vemos que a moça dos sapatos vermelhos não foi a primeira vítima do samurai. Vários corpos putrefatos e cheio de larvas são visto no dungeon do assassino. Assim como o primeiro, Guinea Pig 2 apresenta ares amadores (apesar das cenas filmadas de ângulos diferentes), assim como ausência de um cast de atores. Os próximos filmes apresentam temáticas voltada ao sobrenatural, humor negro... Além de um cast com atores.

As cenas ainda mais doentias de Guinea Pig 2: Flower Of Flash and Blood

O segundo filme ganhou ainda mais notoriedade, depois que o ator Charlie Sheen o levou a autoridades do FBI. Charlie acreditou tratar-se de um autentico Snuff. As autoridades do FBI comunicaram o fato à polícia japonesa, que por sua vez identificou o diretor do filme, Hideshi Hino (além de diretor e produtor do filme, Hino também é autor de vários mangas de horror). Ele mesmo fazia o papel do samurai. Hideshi mostrou o making off do filme para os policiais, além de apresentar a atriz que interpretou a vítimas. Agora, não sabemos se Cheen estava doidão quando assistiu ao filme, mas os efeitos são realmente muito impressionantes.

Apesar do quarto filme não simular um Snuff, e vir com uma temática sobrenatural (mais tarde, descobrimos que não era tão sobrenatural assim), Guinea Pig 4: Mermaid in a Manhole , também ganhou notoriedade quando foi encontrado entre os 5.763 filmes da coleção de Tsutomu Miyazaki, serial killer japonês conhecido como o Assassino de Otakus ou assassino de Ninfas. Apesar de ser erroneamente intitulado como sendo o segundo filme. Alguns acreditam que Miyazaki cometeu seus crimes inspirado no filme.


Vídeo viral: Headshot na loirinha.

A tempos atrás, corria pela net um suposto Snuff. Nele uma mulher, sobre a mira de uma arma, dizia algumas palavras, era notável o medo e a apreensão dela. Em certo momento, o portador da arma (do qual só se via a mão) dispara à queima-roupa na cabeça da loura. Vemos a cabeça dela tombando para trás e muito sangue espirrando na parede. Apesar do vídeo assustar a muitos, sendo incluso na página de downloads do site Assustador (site que é avô do Cabuloso e que não é atualizado a quase 10 anos), o vídeo era falso. A atriz foi vista posteriormente, atuando em outros vídeos. É possível perceber a farsa observando mais atentamente. 

video

Casos de assassinatos e torturas filmadas.

Apesar da dúvida sobre a existência de Snuffs, como já disse anteriormente, assassinatos filmados pelos próprios assassinos não são tão raros assim. Sabe-se que alguns assassinos em série registram suas ações para se satisfazerem mais tarde, sem necessidade de se arriscar, ou para guardarem lembranças de seus crimes. Listei abaixo alguns casos, vamos aos vídeos de tortura:

Vídeos de Tortura.

Leonard Lake & Charles Ng.

Em 2 de julho de 1985, a polícia de South City recebeu um chamado de roubo. Ao chegar até o local, os policiais encontraram o veículo suspeito, dentro dele, um cidadão, que se apresentou como Robin Staply. O sujeito de barba não tinha nada a ver com a fotografia que aparecia no documento. Ele foi preso, mas conseguiu ingerir uma cápsula de cianureto, morrendo. Mais tarde, ele seria identificado como Leonard Lake, nascido em 29 de outubro de 1945. Aos vasculharem a casa de Lake, os policiais encontraram uma série de vídeos, onde 21 mulheres eram torturadas, 6 delas ainda estavam vivas. As suspeitas era que as outras quinze foram assassinadas. Leonard Lake havia feito os vídeos com a ajuda de Charles Chiat Ng. Ng foi preso enquanto furtava uma loja em 6 de julho de 1985.

Os vídeos de tortura de Lake e Ng.
Karla Homolka & Paul Bernardo.


Conhecidos como Barbie e Ken dos assassinos em série, Karla Homolka e Paul Bernardo assassinaram três jovens em Scarborough, Ontáro, Canadá. A primeira vítima do casal foi a irmã de Karla, Tammy, de 15 anos. Bernardo descobriu que a mulher não era mais virgem na época em que se conheceram, por isso, ele convenceu Homolka que ele tinha o direito de tirar a virgindade de Tammy e gravar tudo em um vídeo. Em julho de 1990, Tammy foi confidenciou que havia transado com Bernardo. Karla sabia das infidelidades de Paul Bernardo, que na verdade era procurado por ter estuprado mais de 10 mulheres desde 4 de maio de 1987. No natal de 1990, a dupla dopou Tammy com sonífero. Depois, Karla esfregou um pano ensopado com Halotano contra o nariz de Tammy. Karla e Paul filmaram o estupro da garota. Tammy começou a vomitar ainda inconsciente e morreu asfixiada pelo próprio vômito. O casal se mudou para Bayview, Port Dalhousie. Bernardo encontrou Leslie Mahaffy, ele a sequestrou, estuprou por 24 horas e a matou. A próxima vítima foi Terri Anderson, morta em 30 de novembro de 1991. Ela foi torturada e estuprada por três dias, tudo foi gravado em vídeo. Paul Bernardo foi preso após ser denunciado por agressão pela a esposa. Após os policiais investigaram a casa do casal, eles encontraram os vídeo tapes. Haviam seis fitas mostrando as torturas do casal.

Vídeos de assassinatos.

Armin Meiwes: O Canibal de Rotenburg.


Meiwes era um internauta que postou um anuncio no site The Cannibal Cafe, procurando um voluntário, que deveria ter entre 18 e 30 anos. No aviso, ele fazia distinção entre realidade e fantasia. Muitas pessoas responderam o anuncio, mas desistiram no meio do caminho, Bernd Jürgen Brandes foi o único que levou a proposta até o fim. Os dois se encontraram em 9 de março de 2001, na casa de Meiwes em Rotenburg. Meiwes tentou arrancar o pênis de Brandes à dentadas, mas não conseguiu. cortando com uma faca, ele e Bernd o comeram (ou tentaram) frito. Depois de ser dopado com bebidas alcoólicas e tranquilizantes, Bernd começou a ficar enfraquecido pela perda de sangue. Armin então o matou cortando-lhe o pescoço. Depois pendurou o corpo em um gancho de carne, que estava em uma sala criada para esse fim. Toda cena foi gravada em um vídeo de 2 horas (que mais tarde, seria assistido por policiais e alguns jornalistas, mas não chegou ao público). Meiwes demorou mais ou menos 10 meses para comer quase todo o cadáver, também tentou more os osso e fazer farinha. Ele foi denunciado por um internauta, enquanto procurava outra vítima. Muito se questionou se ele poderia ou não ser condenado, uma vez que Bernd Brandes fez tudo voluntariamente.



Meiwes cortando o cadáver de Brandes

Maníacos de Dnepropetovsk: Three Guys and one Hammer.

Talvez o mais próximo do que se chegou de um Snuff foi o caso dos três (ou dois) jovens ucranianos Viktor Sayenko, Alexander Hanzha e Igor Suprunyuck, conhecidos como os Maníacos de Dnepropetovsk. Eles cometeram uma série de crimes violentos entre junho e julho de 2006. Suas vítimas eram atacadas de com um martelo ou barra de aço, sempre em ataques rápidos e contra pessoas vulneráveis. O fato dos crimes terem pouco espaço de tempo entre eles e serem praticados em outros locais além de Dnepropetovsk caracterizam os assassinos como Spree killers (não como serial killers, como muitos pensam). Victor e Igor foram presos enquanto tentavam vender o celular roubado de uma das vítimas. Alexander seria preso mais tarde (ele apenas forneceu as armas e participou de furtos, não tendo ligações diretas com os crimes). Os assassinos se tornaram famosos após o vídeo do assassinato de Sergei Yatzenko, um ex-portador de câncer, cair na internet. No tribunal, levantou-se a hipótese de que o vídeo seria vendido para o exterior, e os maníacos estariam matando para ganhar dinheiro com os filmes, mas nada disso foi confirmado. Posteriormente foi aceito que os assassinos mataram por diversão. O vídeo abaixo (desaconselhável para pessoas com emoções fortes) é a gravação do assassinato de Sergei:

video

One Lunatic and one Ice Pick.

O mais recente caso de assassinato gravado ocorreu no Canadá, em Montreal. Luka Magnotta (cujo nome verdadeiro é Eric Newman Clinton), um modelo e ex ator pornô gay (apesar dessa carreira não ter dado certo), assassinou o chinês Lin Jun e gravou toda a ação. Lin teve o pescoço cortado, o abdômen furado por um picador de gelo, antes de ser decapitado e esquartejado (houve demostrações de necrofilia e canibalismo). Luka foi preso hoje (04 de junho), em Berlim, Alemanha. O vídeo abaixo foi gravado no apartamento de Magnotta (não é aconselhável para pessoas sensíveis)

video

Se snuffs existem ou não, talvez não saberemos. O caso mais famoso de possivel Snuff foi o dos Maníacos de Dnepropetovsk, mas é provável que eles não agiram com a intenção de vender os filmes. Talvez exista algum comércio de Snuffs na Deep Web (apesar de que mais da metade do que se fala de lá é boato), quem sabe? Deixo assim, uma dúvida.

14 comentários:

  1. Esse Luka é um infeliz depravado ¬¬

    ResponderExcluir
  2. detalhe:
    o cabuloso é atualizado sim, só que coisas pequenas,
    apesar de não entrar lá a uns 2 ou 3 anos tem fotos do acidente de 2007 da TAM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tu és o classico analfabeto funcional... não aprendeu a ler ainda... por isso fala bobagens

      Excluir
  3. Pena de morte no cara que comeu o outro.

    ResponderExcluir
  4. Nossa Ate o cachorro entro na matança. DOG THE KILLER

    ResponderExcluir
  5. Ah, por favor.... aff. Esse último vídeo é fake. Já assisti a várias cirurgias pessoalmente, aquilo tá mais pra boneco de borracha do que pra um ser humano...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miguel, se vc der uma busca vai ver que o caso foi confirmado e o cara preso.

      Excluir
  6. A vida não é ruim, nem a raça humana. Apenas a realidade não é perfeita.
    Uma minoria estraga o nome da humanidade inteira perante Deus ou a Natureza.

    ResponderExcluir
  7. Pessoas desse tipo preferem alcançar a satisfação sem importar-se com o meio pelo qual a consegue.
    O ser humano tem a habilidade de por-se no lugar de outrem. Eu fiz isso, me senti a vítima...mas, como eu sempre digo "Nunca se importe com uma situação pela qual nada possa fazer".
    Como os autores das atrocidades não pensam no que estão fazendo? Na verdade acho que tentam apartar a virtualização do sofrimento do próximo, pois se a fizerem irão se arrepender, se arrependerem-se irão sentir-se muito mal, então nunca pensam assim.
    O interessante é como algo desse tipo pode trazer prazer a alguém? eu respondo: FOI POR ISSO QUE TODOS NÓS ACESSAMOS ESTE BLOG, NÃO?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. curiosidade seria a palavra correta amigo anonimo.

      Excluir
  8. Queria que uma mulher bonita me matasse sentindo muito razer

    ResponderExcluir
  9. Mt massa adorei os vídeos só são um pouco fraquinhos!

    ResponderExcluir
  10. ótimos vídeos adorei , pena q são vídeos comuns e bem fracos... se tiver uma atualização com vídeos mais pesados e atuais eu agradeço

    ResponderExcluir