14 de nov de 2012

Mais notícias sobre o caso Ridgeway.



Há alguns dias atrás, escrevi sobre o desaparecimento e morte da menina Jessica Ridgeway, de 10 anos de idade. Não tive tempo para atualizar o post até o momento, mas acompanhei o caso através dos meios de comunicação internacionais (sites de jornais norte-americanos). O caso já tem o suspeito, um jovem de 17 anos. Vamos aos fatos:


Sexta-feira, 19 de outubro de 2012, a policia divulgou a foto de uma pequena cruz de madeira, que poderia ter sido um pingente. A cruz tinha marcações em zig-zag por um lado e três linhas distintas marcadas do outro lado da barra transversal. Materasso afirmou que a policia recebeu inúmeras informações acerca da cruz, mas pediu para que as pessoas levassem em consideração os detalhes da cruz, ao invés de somente o tamanho do objeto.

Domingo, 21 de outubro de 2012.

Um grupo de motociclistas organizaram um desfile em memória de Jessica Ridgeway. A intenção deles também era arrecadar dinheiro para a família da menina. Cerca de 40 mil dólares foram arrecadados. Os quase 2000 motociclistas se reuniram ao redor do Quaker Steak & Lube, um restaurante localizado entre a U.S. 36 e o número 104 da West Avenue.

A idéia do desfile de motos foi de Tim Beckwith, um drag race bem famoso na região de Arvada, onde reside (o cadáver mutilado de Jessica foi encontrado em Arvada). Beckwith assistiu aos trabalhos da policia quando o cadáver da menina foi encontrado.

Equipe forense investiga em Westminster.

"Ela foi encontrada tão perto da minha casa", disse Beckwith. "Tenho um filho de 9 anos e uma filha de 2 anos de idade, vivemos em Arvada West... esse é meu bairro."

Tim acreditou que iria receber apoio dos fãs, que compareceriam ao desfile, e foi o que aconteceu. Quaker Steak & Lube é o restaurante favorito de Tim e ele concordou em sediar o evento. As cerca de 2000 pessoas colaboraram com 20 dólares cada uma. Todo o dinheiro arrecadado foi mandado para Sarah Ridgeway e Jeremias Bryant. Bem antes do meio-dia, que era a hora combinada para o inicio do desfile,o restaurante já estava lotado. As pessoas foram chegando e se juntando ao grupo.

Stephan Teske é amigo da família de Jessica e está servindo de porta-voz aos Ridgeway. Ele alegou que todos estavam agradecidos e emocionados  pelo evento e afirmou que o evento foi, de longe,a maior demonstração de solidariedade para com a família:

"Eu sei que a maioria do dinheiro vai ser usada para a Jessica Ridgeway Foundation" que a família pretende criar. “Eles querem fazer algo positivo em sua memória...”

Beckwith usou um capacete roxo, com a mensagem "Te amamos Jessica" escrita na frente. ele estava à frente ,com sua motocicleta brilhante. No final, autografou o capacete e entregou aos Ridgeways como lembrança.

Conforme o andamento das investigações, os policiais acabaram reavendo um caso ocorrido em maio desse ano, quando uma atleta de 22 anos (ela não teve o nome divulgado) sofreu uma tentativa de sequestro próximo a Ketner Lake. Um homem tentou dopar a moça tapando-lhe o nariz com um pano embebido em clorofórmio.





Um memorial improvisado feito em Arvada, no local onde o cadáver da menina foi encontrado.

A vítima disse que seu agressor teria entre 1,60 a 1,70 metro de altura, complexão forte, pele branca e com idade entre 18 e 30 anos de idade. Os pedidos por informações que pudessem levar a policia até um suspeito foram refeitos.

O porta-voz de policia, Trevor Materasso falou sobre a ligação dos eventos:

“A policia precisa preservar a integridade da investigação, tanto quanto o possível”, completou Materasso.

Uma reunião da policia com os diretores de canais televisivos de notícias foi realizada na tarde de segunda-feira, dia 22 de outubro. A policia pedia para que mais detalhes sobre o suspeito fossem passados ao telespectador.

Parte do relatório da policia consta a descoberta de um recibo de supermercado, achado em um saco de lixo em Pattridge Open Space Park, em Arvada, próximo de onde o cadáver de Jessica foi encontrado. Funcionários da Soopers King foram interrogados. Trevor Materasso alegou que não havia nenhum recibo próximo de onde Jessica foi encontrada, assim como não foi encontrado nada no espaço aberto próximo ao espaço aberto perto de Ketner Lake. Ele também disse que os funcionários da loja foram ouvidos por outro motivo. Os detalhes dos resultados de exames de DNA foram mantidos em sigilo até o momento. A questão sobre a mochila da garota e a investigação em Superior e Rock Creek também foram mantidos em sigilo.

No dia 23 de outubro, o DailyCamera.com informou que a policia de Westminster e a Crime Stoppers de Denver estavam pedindo doações para construir uma recompensa tentadora para quem conseguisse levar as autoridades ao assassino de Jessica Ridgeway. O departamento de policia de Westminster informou que recebeu inúmeras ligações de pessoas e empresas, oferecendo ajuda financeira para se conseguir juntar o montante para a recompensa. O número de uma conta bancária no banco Wells Fargo, foi informado na mídia. As doações também podiam ser feitas pelo site do Crime Stoppers.

Um suspeito é encontrado.

A policia de Denver investigava de forma desesperada quando um grande passo foi dado. Um suspeito foi identificado. O site DailyCamera.com publicou no dia 24 de outubro de 2012 a noticia de que um suspeito foi identificado.

Austin Reed Sigg tem 17 anos de idade e foi detido na terça-feira, dia 23,  por ligação no desaparecimento e morte da menina Jessica, assim como a tentativa frustrada do sequestro de uma atleta de 22 anos,ocorrida em 28 de maio deste ano. Segundo o chefe de policia de Westminster, Lee Birk, esse foi um passo significativo no caso. Por questões judiciais, os detalhes da prisão de Austin, assim como o que o ligava ao crime foram mantidos em sigilo. A policia foi muito elogiada por suas buscas incansáveis e determinação. 
Austin Reed Sigg.
Após o anuncio de que um suspeito havia sido identificado, a população sentiu certo alívio. 19 dias de trabalho duro finalmente estavam surtindo efeito. A prisão foi realizada após a denuncia da própria mãe de Austin. Sigg foi mandado para o Mount View Youth Services Center, para onde menores de idade acusados de crimes são enviados. Ele foi informado que era suspeito de sequestro, assassinato e uma tentativa de sequestro.

A participação popular também foi importante para o caso. O público deu dicas importantes, com as quais a policia pôde montar uma trilha de pistas significativa.

O site DailyCamera.com lembrou, no entanto, da importância de se provar que Austin realmente era o culpado, evitando assim que um inocente fosse mandado para a cadeia. O site relembrou casos como o de John Mark Karr, que confessou ter assassinado a menina JonBenét Ramsey em 1993 e Timóteo Mestres, que injustamente foi condenado pela morte de Peggy Hettrick,ilustrando casos em que um perfil de agressor foi feito, mas depois que o caso foi elucidado, algo diferente foi descoberto. Ser Austin realmente fosse culpado, a comunidade deveria relembrara que sinais passaram despercebidos que evitariam o assassinato de Jessica. Alguma coisa poderia ser feita antes?

Austin Reed Sigg vivia à cerca de uma milha da casa de Jessica Ridgeway, em um bairro próximo a Ketner Lake. Ele é descrito como um jovem universitário estranho, com interesse por ciência mortuária. Brooke Olds, conhecida de Austin, afirmou que Austin era um rapaz tímido e muito calado.

“Ele sempre era muito reservado, sempre se guardava para si... Ele apenas sempre pedia para brincar com a gente quando éramos crianças... Eu diria que ele parecia ser gótico. Nunca falou realmente sobre sua família, só demonstrava interesse em brincar com a gente... Ele não tinha nenhum amigo e só gostava de brincar com meninas... Nunca pude imaginar que seria ele o culpado”, disse Brooke.


Austin Sigg frequentou a mesma escola que Jessica Ridgeway a anos atrás e atualmente era estudante da Standley Lake High School. Ele cursou para seguir uma Carrera no ramo das ciências forense ou saúde, também conquistou o segundo lugar na competição de primavera de para estudantes de medicina americanos na categoria investigação da cena do crimes. Jacqueline Miller estava na mesma turma de psicologia de Sigg. Ela disse que ele sempre usava um pingente de cruz e carregava um cubo de rubik. Jacqueline se lembrou que no inicio do ano, um professor perguntou aos alunos qual curso estavam cursando. Sigg anunciou que estava cursando “ciência forense”

“Ele se dizia intrigado com os cadáveres. Havia algo assustador nele”, completou Jacqueline.

Brooke Roble, uma caloura da Standley Lake, morava há alguns quarteirões de Sigg, e conhecia bem o adolescente. Ele afirmou que ele costumava brincar de briga. Sigg tinha uma coleção de facas, lâminas e canivetes, além de ter um grande conhecimento em computador e ser querido pelos professores.

“Se você estivesse sozinho, ele seria o único a vir conversar com você. Ele conhecia todo mundo. Estou chocada” Disse ela.

Brooke disse que um conselheiro veio até o colégio e chamou o irmão mais novo de Sigg antes da notícia da prisão de Auston se tornar pública.

Elexus Parmiter, 17, conhecia Austin desde muito cedo e estava em casa, almoçando, quando tomou conhecimento da noticia da prisão de Sigg. “Espero que ele não tenha feito isso. Honestamente, espero o melhor para ele ainda”.

Parmiter e outra amiga de Sigg, Ashley Philbrook, 18, o descreveram como um garoto doce e muito inteligente.
Foto colegial de Austin Sigg.
A noticia da detenção de Sigg significou um alívio para toda a população de Denver, que temia que algo semelhante ao ocorrido com Jessica voltasse a acontecer. Lexi Thorton, mãe de uma menina de 3 anos de idade disse que estava com medo de sair, desde que Jessica Ridgeway desaparecera. “Foi terrível... Deus abençoe o departamento de policia. Eles foram incríveis”.

Austin Sigg acabou confessando o crime e concordou em ser interrogado pela policia de Westminster. O interrogatório durou cerca de seis horas. Na manhã de quinta-feira, Austin foi informado de que o Primeiro Procurador Judicial Distrital pretendia julgá-lo como um adulto. Essa decisão poderia deixá-lo preso por cerca de até 40 anos, ao invés de sete, caso ele seja considerado culpado.

Devido sua pouca idade, a pena capital não foi considerada como opção,segundo o promotor Scott Storey. A Suprema Corte dos Estados Unidos já condenou menores de idade à pena de prisão perpétua,como no caso do Atirador de Washington, Lee Boyd Malvo, autor de uma série de ataques aleatórios, realizados na companhia de seu pai adotivo, John Mohammed.

O promotor-chefe afirmou que julgar Austin como adulto era "a coisa certa a se fazer". Ele não quis, primeiramente, dizer quais acusações seriam apresentadas contra Austin.


Familiares de Jessica falam sobre o suspeito.

Rick Long, pastor de uma igreja em Arvada afirmou que para a mãe de Jessica, Sarah, a prisão representa uma nova fase do pesadelo. Ele alegou que A família da menina estaria contente de Sigg ter sido tirado da rua, entretanto, teria que suportar os detalhes terríveis do crime.


“Eu estou triste. Nós estamos falando de um rapaz de 17 anos de idade. Eu me sinto muito triste por todos os envolvidos.”

A avó paterna de Jessica disse que está triste pela família Sigg, mas que tem muita raiva do adolescente: “Eu acho que sinto por dentro de mim a vontade de queimá-lo vivo. Quero dizer botar fogo nele literalmente. Mandá-lo para o inferno em chamas de glória”, disse Donna Moss durante uma conferência de imprensa em Independece.

Jeremy Briant, por sua vez, permaneceu em silêncio e se recusou a dar entrevistas aos repórteres que o cercaram. A mãe de Jessica e outros familiares alegaram, através de Trevor Materasso, não querer falar publicamente sobre o assunto.

Investigação na casa de Sigg.

Na tarde de quarta-feira, dia 24 de outubro, uma intensa investigação teve inicio na velha e desgastada casa de Austin Sigg, no número 102 da West Avenue. A casa de dois andares, com portas mal pintadas e telhas desgastadas foi cercada pela fita amarela da policia.

Vizinhos cercaram a casa e pareciam chocados e incrédulos. na casa, morava Austin, sua m~es e seu irmão. Os pais de Austin haviam se separado e sua mãe cuidava da casa sozinha. O divorcio foi uma batalha longa e turbulenta.

Exames de DNA e primeira aparição pública.

Em 25 de outubro, dia da primeira aparição pública de Austin, o DailyCamera.com divulgou a noticia de que os exames de DNA deram positivos para a ligação entre Austin e o caso Ridgeway, assim como na tentativa de sequestro ocorrida em maio.

“Tivemos uma tentativa de sequestro no Ketner Lake, quatro meses depois, ocorreu o que só pode ser descrito como um homicídio terrível. A evidencia é esmagadora.” Disse o Chefe Adjunto promotor Hal Sargent.
Scott W. Storey fala com a mídia na porta do tribunal, em 25 de outubro.
Os defensores públicos responsáveis pela defesa de Austin alegaram que as provas não são conclusivas e pediram uma “ordem de mordaça”. Não há muitos detalhes sobre as provas contra Austin e o arquivo de evidencias está selado.

Durante a audiência, a família Sigg estava sentada chorando em um banco por trás da mesa da defesa.

Quando os policias levaram Austin Sigg algemado do tribunal, o irmão do adolescente começou a chorar, enquanto sua mãe tentou consolá-lo. Catorze policiais e xerifes fizeram a segurança na frente do tribunal. A família de Jessica estava vestida de roxo.

Parentes de Sigg deixam o tribunal.
Birk e Storey enfatizaram que, embora Sigg tenha sido preso, a investigação manteve-se em andamento. Eles publicaram uma fotografia de Sigg e pediu informações sobre os passos do rapaz.


O pai de Austin, Rob Sigg, divulgou um comunicado pedindo orações pela família de Jessica e pela mãe de Austin, na quinta-feira, dia 25 de outubro, após a primeira aparição pública de Austin no tribunal juvenil Jefferson County:

"Primeiramente, eu gostaria de pedir suas orações e apoio para a família Ridgeway. Não há palavras para expressar a tristeza que eu e minha família sentimos pela a dor que estão sofrendo. Estamos devastados pelo conhecimento de que o meu filho, Austin Sigg, foi preso e será acusado do assassinato de sua bela filha Jessica. Este evento é uma tragédia horrível, tanto para as famílias, bem como para a comunidade. Peço também suas orações e apoio para a mãe de Austin, cujo corajoso ato .. . inimaginavelmente doloroso para qualquer mãe ... colocou esta tragédia no caminho da resolução. Tenho esperança de que, com o desenrolar do processo legal, a família Ridgeway pode vir a conhecer a paz. "

Aproxima audiencia de Austin Sigg está marcada para o dia 27 de novembro desse ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário