22 de dez de 2011

Ted Bundy


Theodore Robert Cowell nasceu em 24 de novembro de 1946. Filho de Louise Cowell com um veterano da Força Aérea Americana. Louise era adolescente quando engravidou e nunca mais viu o pai de Ted, ela teve o filho em uma instituição de apoio à mães solteiras. Para salvar a honra da família, os pais de Louise decidiram assumir a guarda do pequeno Theodore, se passando por pais legítimos, e fazendo com que todos a sua volta, incluindo o pequeno Ted, acreditassem que Louise havia ganhado um irmãozinho.



Fotos de infância de Ted Bundy.
Theodore assistia constantes episódios de violência entre os "pais". Antes de completar 5 anos de idade, Louise casou-se com o cozinheiro militar John C. Bundy, mudando-se com o filho biológico para Tacoma, Washington. Ted se mostrava um garoto inseguro, tímido e cada vez mais isolado. Era tido como "diferente" pelos colegas de escola, apesar de seu bom desempenho nos estudos. Ted adotou o nome Bundy, nome que levaria pela vida inteira. Ao longo dos anos, Ted ganhou outro quatro irmãos e por vezes cuidava deles. Ele começou a mutilar animais como forma de diversão.  John, sendo agora padrasto de Ted, tentou se aproximar inúmeras vezes do menino, fazendo acampamentos e outras atividades paternais, mas todos os seus esforços se mostravam inúteis. Ted sentia-se desconfortavel na presença do padrasto e preferia permanecer sozinho. É possivel que esse comportamento levou Ted a ter problemas de interação quando atingiu a idade adulta.
Ted, sua avó e sua irmã.

Juventude.

Na juventude, Ted Bundy era excesivamente tímido, não tinha auto-confiança e sentia-se desconfortavel em situações onde precisava interagir socialmente. Ele constantemente era vítima de brincadeiras e alvo dos valentões da escola. Mesmo sendo tido como estranho e tendo dificuldades de interagir socialmente, Ted Bundy era um bom aluno e suas notas eram, na maioria, acima da média. Sua popularidade foi crescendo gradativamente. Ele passou a ser visto como um sujeito bem vestido educado e excepcional. Seus interesses foram voltados para atividades extra-curriculares, como esqui e politica. Aliás, Bundy apresentou um intenso interesse em politica.
Ted Bundy aos 17 anos de idade.

Após concluir o ensino médio, Ted Bundy conseguiu bolsa na PugetSound e na Universidadede Washington. Nesse período, ele trabalhou em diversos trabalhos simples, como trocador de ônibus e vendedor em uma loja de sapatos. Porém, mesmo com sua aparente tranquilidade, ele era tido como alguém não confiável por seus empregadores. Isso o fez mudar de emprego constantemente. Ted continuava a se concentrar em suas notas escolares, que nunca diminuíam.

Ted Bundy e sua primeira namorada, Stephanie Brooks

Na primavera de 1967, a atenção de Bundy foi voltada à uma garota que futuramente seria considerada a mulher de sua vida. Os dois passeavam constantemente, esquiavam e viajavam.Bundy não entendia ao certo, o porquê do romance, pois eles pertenciam a mundos distintos: A mulher era de classe alta e financeiramente superior a Bundy. Mesmo assim ele gostava muito dela. Pode-se dizer que esse foi o único grande amor de vida de Bundy. Eles se apaixonaram durante uma viagem, em que esquiaram juntos. Ted Bundy tentava sempre impressioná-la, mesmo que isso significasse mentir. Stephen Michaud, autor de A única testemunha viva, afirmou que Ted conquistou a bolsa de verão na Universidade de Stanford, na Califórnia, uma das mais prestigiadas, apenas para impressionar a namorada. Mas lá, toda sua imaturidade foi exposta.

Tudo corria bem, até que em 1968, a namorada de Bundy rompeu relações com ele, após ela ter se formado na Universidade de Washington. Pode-se dizer que isso foi o mais duro golpe na vida de Bundy. Ela passou a tentar impressiona-la constantemente, mas tudo em vão. Ele passou a comunicar-se por cartas, mas não era correspondido, a jovem havia perdido o interesse em Bundy,mas mesmo assim, ele continuava obcecado. Essa obsessão, provavelmente, contribuiria para os atos de Bundy que chocaram os Estados Unidos.

Em 1969, mais um duro golpe na vida de Ted. Ele descobriu toda a farsa que era sua vida. Descobriu que seus "pais" eram na verdade seus avós e sua "mãe" sua irmã. Isso tornou o jovem Ted um sujeito mais frio e com desejos de está no controle, buscando ser o melhor em tudo. Ted não mudou muito sua relação com a mãe, mas a relaçãoquase inexistente com o padrasto piorou ainda mais.

Um fato na vida de Bundy, era que ele era suspeito de uma série de pequenos furtos enquanto estava no ensino médio. Desses pequenos furtos, ele passou a roubar objetos de valor maior, como televisores, por exemplo. Marilyn Bardsley, especialista no assunto, afirma que psicopatas costumam cometer pequenos crimes, pois gostam de está em contato com o perigo. Os crimes ficam mais audaciosos, conforme eles ganham confiança. Ted se rematriculou na Universidade de Washington.

Meg Anders.

O comportamento de Ted Bundy estava em mudança. Ele passou de tímido e introvertido, para uma pessoa de caráter dominante. Na universidade, Bundy ganhou a notoriedade dos professores.

Nessa época, Ted Bundy conheceu Meg Anders, com quem passou a morar. Meg era divorciada, trabalhava como secretária e tinha uma filha. Ela viu em Bundy uma figura de pai perfeito para filha. Meg Anders queria contrair matrimônio com Ted Bundy, porém Bundy dizia não está preparado para o casamento. Meg sabia que Bundy tinha inúmeras relações com várias mulheres, mas ela nunca tocou no assunto; ela também não tinha conhecimento da ex-namorada de Bundy, com quem ele ainda tentava manter contato.
Ted e sua namorada, Meg Anders.

A vida de Ted Bundy parecia ter dado uma guinada. Ele passou a ser mais confiante e ter uma visão mais otimista de seu futuro. Enviou solicitações de vagas para diversas faculdades de direito e simuntaneamente começou a trabalhar com política. Ted Bundy auxiliou a campanha de reeleição do governardor de Washington, Daniel Jackson Evans, membro do Partido Republicano. Ted também passou a trabalha em uma clínica para auxilio de suicidas. Ele recebeu elogios de policiais de da população por salvar um menino de afogamento.

Em 1973, durante uma viagem pelo Partido Republicano para a Califórnia, Ted e sua primeira namorada se reencontraram. Ela ficou impressionada com a mudança perceptível na vida de Ted. Eles se reencontraram várias vezes durante viagens de negócios durante o inverno e outono. Ele fez de tudo para reconquistá-la, para depois, em um ato de vingança, descartá-la em fevereiro de 1974. Ted aparentou ter perdido totalmente seu interesse na mulher, que estava novamente apaixonada por ele. Meg Anders nunca soube do caso. A moça só veria o sujeito nas páginas de jornal.

Lynda Healy.
Linda Healy
Lynda Ann Healy era uma jovem de 21 anos de idade. Ela trabalhava em uma rádio, anunciando as condições do tempo para a prática de esqui na parte oeste de Washington. Ele era conhecida por sua boa aparência física: Os longos cabelos castanhos, o sorriso quase que permanente e brilhante, além de ser alta e magra.

Lynda provinha de uma família de classe média. Estudava psicologia na universidade de Washington, e tinha uma ótima voz. Sua maior paixão era trabalhar com crianças, principalmente as deficientes.

Em 31 de janeiro de 1974, Lynda e alguns amigos foram beber cerveja depois do jantar na taberna Dante, uma taberna popular entre os estudantes da Universidade de Washington. Ela voltou mais cedo para a fraternidade onde morava com outras quatro garotas. Trocou de roupa, telefonou ao namorado e assistiu televisão. Na manhã seguinte, a companheira de Lynda, que dormia ao quarto ao lado, percebeu que o despertador de Lynda ainda estava tocando. Ao desligar, ela ouviu o telefone tocar, atendeu e soube que era da rádio. Lynda ainda não havia chegado no trabalho, o que era estranho naquele horário, pois Lynda saia cedo, às 5;30 da manhã. Como a cama de Lynda estava arrumada, todos pensaram que ela já estava a caminho do trabalho.

Mas Lynda nunca voltou para o jantar. Seus pais foram chamados e contactaram à policia que chegou e averiguou o quarto da jovem. O quarto havia sido arrumado de maneira diferente à que Lynda costumava arrumar. Uma fronha e um lençol haviam sumido.

A polícia encontrou também uma mancha de sangue no travesseiro e no lençol que forrava a cama. Faltavam algumas peças de roupas de Lynda e uma camisola, também manchada de sangue estava pendurada no armário. Os policiais foram convencidos que, provavelmente, Lynda havia sido vítima de uma espécie de brincadeira, por isso, não coletaram nenhum fio de cabelo ou impressão digital. Em úmtima análise, os policiais perceberam que o intruso havia entrado na casa, trocado a roupa de Lynda, arrumar a cama, e sair tranquilamente com a garota.

Colchão de Lynda, manchado de sangue.

Mais e mais crimes.

Durante a primavera e verão de 1974, uma série de crimes contra garotas colegiais foram registrados em três estados americanos: Washington, Utah e Oregon. As vítimas tinham o mesmo perfil: Colegiais de cabelos compridos, partidos ao meio. Eram de tez branca, magras, solteiras. Todas sumiram durante a noite.

Muitas testemunhas, geralmente estudantes universitários, afirmaram ter visto um estranho com o braço engessado nos locais próximo aos crimes. Ele pedia para meninas para que o ajudassem a colocar livros dentro de seu carro, um fusca de cor branca. Curiosamente, todas as testemunhas descreveram o desconhecido como um homem bem arrumado e bem apessoado.

As vítimas.

Em 12 de Março, Donna Gail Manson, de 19 anos, desapareceu enquanto caminhava com destino à um concerto de Jazz no Evergreen State College, Olympia, Washington.
Donna Manson.

Em 17 de abriu, Susan Elaine Rancourt, 18, desapareceu enquanto caminhava pelo campus da Ellensburg's Central Washington State College, durante a noite. Ela foi vista na compania de um homem, que solicitava sua ajuda para transportar uns livros.

 06 de maio: Roberta Kathleen "Kathy" Parks (22 anos). Desapareceu da Oregon State University, em Corvallis enquanto caminhava para outra sala dormitório para tomar um café com os amigos.

01 de junho: Brenda Carol Ball (22 anos). Desapareceu ao sair da Flame Tavern, em Burien, Washington.

11 de junho: Georgeann Hawkins (18 anos). Desapareceu  próximo à fraternidade onde morava, Kappa Alpha Theta, da Universidade de Washington.

14 de julho: Janice Ann Ott , 23 anos e Denise Marie Naslund, 19 anos , desapareceram sem deixar rastros enquanto caminhavam em um lago no Sammamish State Park, em Issaquah, Washington.
Janice Ott.
Denise Naslund.

02 de setembro: Foi a vez de uma adolescente de identidade e idade desconhecidas. Seu corpo nunca foi encontrado

02 de outubro: Nancy Wilcox , 16 anos, desapareceu em Holladay, Utah. Seu corpo nunca foi encontrado. O assassino havia viajado.

Em agosto de 1974, os restos mortais de Janice Ott e Denise Naslund foram encontrados  no Sammamish State Park. Restavam delas apenas ossos das coxas, os dois crânios e uma mandíbula, além de vários fios de cabelo de diversas cores. Havia também um outro osso que não era delas. As últimas pessoas à verem Janice Ott com vida foi um casal que fazia um pique-nique no Sammamish State Park. Eles afirmaram que um homem, autodenominado Ted havia solicitado a ajuda de Ott com um bote, pois ele estava com o braço engessado. Ott nunca mais foi vista com vida. Denise Naslund foi passar a tarde com o namorado e amigos. Ela havia se separado do grupo, para ir a um banheiro. Ao sair, um homem com o braço engessado pediu ajuda. Denise era uma pessoa boa e seu ato de bondade lhe custou a vida.

Meg Anders suspeita do namorado.

Testemunhas ajudaram no retrato falado do suspeito, que foi exibido em um jornal de Washington. Lynn Banks, amiga de Meg, reconheceu Ted e informou o caso para a amiga, que procurou a polícia de Seattle em agosto de 1974. Meg realmente tinha razões para acreditar na culpa do namorado, pois ele havia guardado gesso e muletas sem motivo, além do retrato realmente ser muito semelhante com Ted. Anders deu aos policiais fotos recentes de Bundy, as fotos foram mostradas à testemunhas, que aparentemente, não reconheceram. O caso acabou sendo arquivado, e Ted foi retirado das listas oficiais, talvez esse foi um erro fatal.

O assassino acreditou está ludibriando os policiais. Isso o deu ainda mais confiança para prosseguir com seus crimes em lugares diferentes. Meg havia denunciado Ted antes que começassem os crimes em Utah, mas sua ajuda mostrou-se infrutífera.

A morte da filha do policial.

Em 18 de outubro do mesmo ano, Midvale, Utah, Melisa Smith, uma jovem de 17 anos, filha do chefe de policia local, Luis Smith, desapareceu no caminho de uma pizzaria. Seu corpo foi encontrado 9 dias depois nas montanhas Wasatch. Ela fora espancada com um objeto de metal, provavelmente uma alavanca, e fora torturada, estrangulada e estuprada.

Melisa Smith.

A policia de Utah encontrou semelhanças entre o crime e os crimes em Washington, os investigadores dos dois estados concluíram que um assassino em série estava a solta.

Treze dias mais tarde, no Halloween, Laura Aime, 17 anos de idade, desapareceu sem deixar rastros. Seu corpo foi encontrado em um rio, nas montanhas Wasatch. Ela havia sido golpeada com um objeto pesado, provavelmente um pé-de-cabra ou algo similar. Também havia sido estuprada e estrangulada. A falta de sangue no local onde o corpo foi localizado levou a todos a acreditarem que Laura havia sido morta m outro local e seu corpo havia sido levado para as montanhas.

A primeira sobrevivente.

Ted Bundy atacou de novo, dessa vez a vítima foi Carol DaRonch, de 18 anos. Carol estava em uma livraria de um shopping, na cidade de Murray, quando Theodore se aproximou se identificando como policial. Ele disse que o veiculo de Carol havia sido arrombado, e que era necessário ir até a delegacia, registrar queixa. Ted seguiu em seu carro, um fusca sem o banco do passageiro, com a jovem para o lado oposto, ao perceber a armadilha, a garota desesperou-se. Bundy tentou algemá-la, mas como Carol não parava de se debater, acabou prendendo os dos anéis da algema em um único braço da garota. A menina só calou-se quando Bundy ameaçou matá-la com uma arma. A vítima foi retirada do carro a força, e como ultima alternativa, deu uma joelhada no saco entre as pernas de Bundy, conseguindo assim fugir e ser encontrada por um casal, em uma rodovia, que a levou até uma delegacia, onde ela, chorosa e com um dos pulsos algemado deu seu depoimento. Ela contou como foi abordada e como foi ameaçada com um pé-de-cabra.

 Quando os policiais chegaram ao local indicado pela garota, não havia mais ninguém. Na mesma noite, Ted aproximou-se de Jean Graham, que dirigia uma peça de teatro no Viewmont High School. Ele dizia querer identificar um carro, mas Jean Graham afirmou está ocupada demais. O homem voltou algum tempo depois, e insistiu que Graham o ajudasse, novamente ela recusou. Ela achou estranho essa insistência, mas manteve isso para si.

Debby Kent, de 17 anos, estava no mesmo local da peça, mas precisou sair mais cedo para buscar o irmão no boliche. Ela pediu aos pais que a esperassem ali, mas não voltou mais. Na verdade ela nem chegou ao seu veículo, estacionado do lado de fora. A única pista deixada no local foi uma chave de algema, chave que encaixava perfeitamente nas algemas presas ao pulso de DaRonch. DaRonch e Graham se tornariam testemunhas de acusação vitais. Mais tarde, quase um mês depois, uma testemunha, amigo de Kent, afirmou ter visto um Fusca branco, deixar o estacionamento da universidade onde Graham dirigia a peça, na noite do desaparecimento de Kent.

Modus Operandi.

Ted Bundy agia assim: Atraia as vítimas com pedidos de socorro, cheio de livros nas mãos e com o braço engessado. Quando a menina ia ajudá-lo ela a prendia em seu carro, e a ameaçava. O fusca branco de Bundy já era preparado pra isso: Não tinha o banco dianteiro do passageiro e nem a maçaneta da porta. Quando a vítima ia colocar os livros dentro do carro, tinha que entrar com meio corpo para dentro do carro, facilitando assim sua captura.

Fusca usado por Ted Bundy.

Suas vítimas eram jovens, principalmente colegiais, com cabelos castanhos, longos e partidos ao meio. Ted se espelhava em sua antiga namorada na hora de caçar sua vitima.

Caryn Campbell.

A jovem Caryn Campbell.
Em 12 de janeiro de 1975, Caryn Campbell viajava para o Colorado com seu noivo, Dr. Raymond Gadowski e seus dois filhos. Caryn esperava aquela viagens a tempo, pois queria passar um tempo com seus filhos e seu marido.  No hotel, Caryn Raymond e os dois filhos se divertiam no lounge, quando Caryn lembrou-se que havia esquecido uma revista em seu quarto. Ele subiu para buscar e seu marido e filhos aguardarm seu retorno. Ela não voutou mais. Como ela já havia se sentido mau naquele dia, Raymond decidiu ir vê se a mulher necessitava de ajuda. Ela não á encontrou. Pela manhã, ainda confuso e extremamente preocupado, Raymond decidiu chamar a polícia.

Policiais vasculharam todo o hotel, mas não acharam nem vestígios de Caryn. Quase um mês depois do desaparecimento, Um homem localizou o corpo de Caryn. Ela estava nua e seu corpo havia sido parcialmente devorado por animais. O cadáver havia sido abandonado em uma estrada, há alguns quilômetros do hotel onde Caryn se hospedou.
O corpo de Caryn Campbell.

Em seu livro, Bundy: The Deliberate Stranger, Richard Larsen, afirma que Crayn havia sido morta por repetidos golpes de objeto contundente em sua cabeça. Os golpes foram de tanta violência, que um dos dentes de Caryn havia saído do alinhamento da gengiva. Havia também evidencias de estupro e sodomia. Acredita-se que ela foi assassinada pouco depois do seu desaparecimento. Além do corpo, havia poucas evidências no local onde o corpo foi achado.

Pouco tempo depois do encontro do copo de Caryn, restos mortais de outra mulher foram encontrados há 10 milhas do Sammamish State Park. Os restos eram de Brenda Ball, uma das sete mulheres que desapareceram durante o verão. Ela havia sido executada com golpes na cabeça, feitos com um objeto contundente e pesado.

A polícia revista as montanhas.

A policia revistou a montanha Tyler, local popular pela prática de esqui em Washington, onde alguns dos corpos foram encontrados. Poucos dias depois do inicio das investigações, o corpoPoucos dias depois do inicio das investigações, o corpo de Susan Rancourt foi localizado. Os restos mortais de Lynda Ann Healy também foram localizados. Todas as vítimas foram golpeadas na cabeça com um objeto contundente. A polícia continuou a caça ao assassino, mas não obteve sucesso. Um programa de computador foi criado para organizar nomes de suspeitos.

Restos mortais de uma das vítimas, encontradas na montanha Tyler.


Prisão e suspeitas.

Em 1975, o sargento Bob Hayward, que patrulhava Salt Lake, em Utah, estranhou um fusca branco que circulava pelas redondezas. O sargento Hayward era, por coincidencia, irmão do detetive Pete Hayward, um dos encarregados de investigar a onda de crimes em Utah. Guardas que tem um itinerário fixo costumam saber quando um carro é estranho ou não, principalmente em cidades pequenas. Ao tentar abordar o motorista do fusca, o sujeito apagou as luzes e partiu em disparada. O fusca ultrapassou dois sinais vermelhos, até parar próximo a um posto de gasolina. Quando o sargento aprouximou-se do motorista e pediu seus documentos.Verificou-se que se tratava de Theodore Robert Bundy. Ao examinar o interior do veículo, o guarda encontrou um pé-de-cabra, uma máscara de esqui, corda, algemas e um picador de gelo. Bundy foi preso por suspeitas de roubo. Ele obervou também, que o banco do passageiro estava faltando.

Material apreendido no carro de Bundy.

Após a prisão de Bundy, inúmeras ligações impressionantes existiam entre ele e o individuo que atacou Carol DaRonch o pé-de-cabra, também descrita por DaRonch, era similar com as marcas nos corpos de Melissa Smith, Laura Aime e Debra Kent, que foram assassinadas anteriormente. Havia no carro um par de algemas, da mesma marca da presa no pulso de Carol. Apesar de todas as evidências contra Bundy, os policiais sabiam que elas não eram suficientes.
Identificação fotográfica (mugshot) de Ted Bundy, em sua primeira prisão

Carol DaRonch, Jean Graham e um amigo de Debby Kent foram chamados, em 2 de outubro de 1975, para uma identificação em uma delegacia em Utah. Haviam sete suspeitos, um dos quais era Bundy. Carol identificou Ted Bundy como sendo o homeme que atacou-a. O diretor e o amigo de Debby também reconheceram Ted. Bundy afirmou ser inocente, mas os policiais começaram a investigá-lo.

Em 16 de setembro de 1975, Meg Anders foi chamada para depor na King County Police Major Crime e forneceu aos detetives Jerry Thompson, Dennis Couch e Ira Beal ,informações que ajudaram a montar o perfil de Ted e entender sua personalidade. Nas datas dos crimes, apresentadas pelo investigador, Meg dizia não saber onde se encontrava Bundy, pois ele geralmente dormia de dia e saia de noite, hora em que ela estava dormindo. Meg Afirmou que o interesse do parceiro por sexo havia diminuído muito, ele andava tendo estranhas fantasias de sexo e escravidão, e pareceu ficar decepcionado quando Meg negou-se a participar de jogos sexuais de bondage.Ele também guardava gesso e possuía uma machadinha. Anders também informou que Ted estivera no Lake Smmamish Park, praticando esqui aquático, na mesma época em que Janice Ott e Denise Naslund desapareceram.
Identificação fotográfica de Ted Bundy em 1975.
Policiais perguntam à antiga namorada de Ted.

Meg aparentava está desconfortável, mas muito disposta a ajudar os policiais. Depois de um alonga entrevista com a senhora Anders, os policiais mudaram o foco para a antiga namorada de Ted. Ela foi localizada na Califórnia, onde morava. Ela contou sobre a mudança no comportamento de Ted, que passou de um sujeito amável, par alguém frio e insensível. Ted vivia uma vida cheia de mentiras, incertezas e traições. Os policiais descobriram mais sobre a vida de Ted do que esperavam.

Mais descobertas.

Continuando as investigações, mais ligações entre Ted e as vítimas foram descobertas. Lynda Ann Heally era amiga de uma prima de Bundy. Ela fazia aula de psicologia na mesma turma de Ted. Muitas testemunhas oculares confirmaram que o viram na época dos desaparecimentos. Bundy também havia frequentado as Montanhas Tayler, lugar onde muitas ossadas de vítimas de homicídios foram encontradas.O investigadores averiguaram as faturas dos cartões de Bundy e descobriram que Ted estava próximo aos locais de muitos crimes na época em que foram praticados. As provas contra Ted estavam crescendo, mas ele continuou a manifestar inocência.

Julgamento.

Theodore Bundy foi a julgamento em 23 de fevereiro de 1976 pelo sequestro de DaRonch, Ele aparentava está seguro e confiante. Achava que não haviam provas o suficiente contra ele. Quando Carol DaRonch  sentou-se para testemunhar, ela contou sobre o incidente ocorrido 16 meses antes. Quando perguntada se poderia identificar quem foi seu agressor, Carol, em uma crise de choro, apontou o dedo para Ted Bundy e disse que seria o Oficial Roseland. Na verdade, Bundy havia se identificado como Oficial Roselande, na noite em que ataco Carol. Todas as pessoas da sala voltaram sua atenção para Bundy, que permanecia indiferente e frio. Mais tarde, Ted disse nunca ter visto DaRonch, mas ele não tinha um álibi.

Carol DaRonch, dando seu depoimento no tribunal.

O Juiz proferiu a sentença dois dias depois. Em 30 de junho, Ted Bundy foi condenado a 15 anos de detenção acusado de seqüestro. Na prisão, Ted Bundy foi submetido à analise psicológica, pois haviam solicitado no tribunal. Bundy foi diagnosticado como um sujeito neurótico, portador de um distúrbios de caráter, amnésia e alcoolismo. Os psicólogos descobriram que Ted Bundy tinha uma forte e suspeita “dependência da mulheres” e concluíram que ele tinha um imenso medo de rejeição.

Enquanto ele estava na prisão Estadual de Utah, os investigadores trabalhavam coletando provas que o ligasse aos assassinatos de Caryn Campbell e Melissa Smith. Os peritos encontraram fios de cabelos e manchas de sangue no interior do fusca de Bundy. O pé-de-cabra usado por ele combinavam com os ferimentos deixados  na cabeça de Campbell. A polícia de Colorado apresentou acusações contra Bundy em 22 de outubro de 1976, pelo assassinato de Caryn Campbell.

Ted Bundy foi transeferido , em abril de 1977, para a cadeia do condado de Garfield, no Colorado, para aguardar julgamento pelo caso Campbell. Ted Bundy não acreditava que um advogado poderia defendê-lo, pois estava insatisfeito com sua defesa. Ele dispensou seu advogado, e por ter conhecimento da lei, decidiu ele próprio fazer sua defesa. Bundy pediu permissão para realizar pesquisas em uma biblioteca na cidade de Aspen, pois ele iria defender a si mesmo. Foi concedida uma permisão para que ele deixasse os muros da prisão em algumas ocasiões. Na verdade, Bundy queria era uma oportunidade de fugir, e a conseguiu.

Bundy foge.

Em sete de junho, durante uma das suas pesquisas na biblioteca de Aspen, Ted Bundy saltou de uma janela, ferindo o tornozelo na queda. Ted não usava algemas e nem tornozeleiras, e podia facilmente se infiltrar entre as pessoas comuns da cidade de Aspen. A polícia de Aspen fechou todas as fronteiras, mas Ted sabia como a polícia agiria, e não pretendia deixar a cidade no momento. Mais de 150 detetives e cães farejadores foram usados nas buscas por Bundy, no entanto, ele conseguiu escapar por oito dias.

Durante os dias de foragido, Bundy alimentava-se roubando comida e abrigava-se em casa abandonadas. Ele sabia que precisava de um carro, que facilitaria sua passagem por barreiras policiais. Bundy também sabia que não poderia ficar em Aspen para sempre, mas acreditava que conseguira sua liberdade. Em uma entrevista, Bundy afirmou que se sentia incrível: “Nada deu errado. Se algo desse errado, a próxima coisa que aconteceu foi tão boa que compensou. Foi ainda melhor.” Bundy achou ter encontrado sua chance de fugir, ao deparar-se com um carro aberto. Mas ele foi flagrado roubando o veículo.

Novamente preso, Bundy continuou fazendo suas pesquisas, dessa vez algemado, vigiado e com grilhões nas pernas.

Depois de recapturado, Ted Bundy foi obrigado a usar grilhões nas pernas.

Outra fuga e o caso da XΩ.

Seis meses depois, na Garfield Country Jailiand, Bundy conseguiu fugir fazendo um buraco no teto da sua cela. Ele arrastou-se para o outro lado da cadeia e entrou em um vestiário usado pelos carcereiros, onde esperou calmamente. Quando percebeu que a porta nas era mais vigiada, Bundy saiu pela porta da frente. Sua fuga só foi percebida no outro dia, quinze horas depois.

Bundy encaminhou-se para Chicago, onde ficou pouco tempo. Chicago foi uma de suas paradas antes do seu destino final, a cidade de Tallahassee, Flórida. Em meados de janeiro de 1978, Theodore Robert Bundy chegou a Tallahassee, onde adotou o nome falso de Chris Hagen. Tallahassee foi uma sábia opção de Bundy, pois quase ninguém na cidade o conhecia. Ele se instalou em um apartamento nas proximidades da Florida State University. Ele passou grande parte de seu tempo vagando pelo campus da universidade, freqüentando palestras e assistindo aulas.

Em seu apartamento, Bundy gostava de assistir televisão. Seu aparelho de televisor era roubado, assim como quase todas as suas coisas, incluindo a comida, comprada com cartões roubados. O roubo tornou-se uma atividade comum na vida de Ted.

Na noite de 14 de janeiro, sábado, a maioria das jovens que moravam na fraternidade XΩ (Chi Ômega) estavam em uma festa. Elas geralmente voltavam pela manhã, pois não havia toque de recolher.
Fachada da freternidade Chi-Ômega.

Ted invadiu a fraternidade estudantil Chi Ômega e atacou Karen Chandler, quebrando-lhe os dentes, a mandibula, o crânio e os dedos. A segunda vítima foi Kathy Klein, que também teve os dentes, a mandíbula e os crânios quebrados, além de apresentar duas marcas de chicote no pescoço. Lisa Levy e Margareth Bowman também foram atacadas enquanto dormiam, estas foram vítimas fatais.
Lisa Levy e Margareth Bowman.

Nita havia chegado, às 3:00 da manhã, de uma festa, acompanhada do namorado, quando viu um sujeito de capuz de esqui azul descer as escadas e deixar o local, ela quase foi vista, mas se escondeu atrás de uma porta. O sujeito segurava um pedaço de pau com um pano enrolado na ponta. Ela imaginou que a fraternidade havia sido assaltada. Ela correu para um dos quartos, para acordar sua companheira, Nancy. Elas decidiram ir falar com a governanta da casa, antes porém de chegar ao quarto da governanta, Nita e Nancy se depararam com Karen, cambaleando pelo corredor com a cabeça toda ensangüentada. Enquanto Nita ajudava Karen, Nancy foi até a governanta, que, com ela, partiu para verificar os outros quartos. Elas acharam Kathy em seu quarto, com graves ferimentos. Nancy foi até o telefone e chamou a policia.

Fotos periciais do corpo de Margareth Bowman.

Fotos periciais do corpo de Margareth Bowman.

Fotos periciais do corpo de Lisa Levy. Ted Bundy arrancou o mamilo de Lisa à dentadas.
Uma das camas onde se deu o crime.

Os policiais encontraram os corpos das duas meninas mortas, Lisa Levy e Margareth Bowman em suas camas. Lisa havia sido golpeada na cabeça com um pesado pedaço de pau, estuprada e estrangulada. Seu ombro estava deslocado, haviam marcas de mordidas em sua nádega e em seu mamilo, este quase estava quase descolando do seio. Ted ainda enfiou um frasco de spray para cabelo na vagina da garota. Margareth Bowman sofreu os mesmos ferimentos de Lisa, mas não havia sido estuprada. Ela também havia sido estrangulada com um par de meias, encontrados no local do crime. As pancadas em sua cabeça foram tão fortes, que parte de seu crânio estava exposta.

Charyl Thomas também é atacada.

A menos de uma milha da fraternidade Chi Ômega, em um apartamento, uma mulher é acordada por ruídos no apartamento ao lado. Estranhando o fato de alguém fazer barulho às 4:00 da manhã, ela acordou seu companheiro de quarto, e os dois foram verificar do que se tratava. Eles ouviram Charyl Thomas, que morava ao lado, gemendo. Decidiram então ligar para ela e, como ninguém atendia, comunicaram à policia.

A polícia estava próxima, averiguado a cena do crime na Chi Ômega, por isso eles não demoraram muito a chegar ao apartamento de Charyl.Os policiais arrombaram a porta e encontraram a jovem em seu quarto, sentada na cama, seminua e com o rosto muito inchado. Ela estava quase inconsciente, mas deu sorte de sobreviver.

A polícia encontrou uma mascara de esqui, debaixo da cama de Charyl, ela era igual a apreendida com Ted Bundy, quando ele foi preso em Utah.

Kimberly Leach.
Kimberly Leach.

Em 9 de fevereiro de 1978, Ted atacou Kimberly Leach, de 12 anos, seqüestrando-a em frente a escola onde ela estudava. Naquele mesmo dia, os pais de Kimberly ligaram para a polícia desesperados. A policia começou uma intensa procura por Kimberly. A última pessoa a vê-la foi sua amiga, Priscilla, que a vira entrando em uma Kombi. Priscilla, porém não conseguiu identificar o motorista. O corpo de Kimberly Leach foi localizado dois meses depois, abandonados em um galpão em Suwannee, Flórida, em avançado estado de putrefação. Ted havia escondido o corpo, para poder fazer sexo com ele mais vezes.

Um pouco antes do seqüestro de Kimberly, Bundy aproximou-se de Leslie Parmenter, de 14 anos, que aguardava o irmão em frente a escola onde estudava. Ele apresentou-se como sendo do corpo de bombeiros, mas Leslie não acreditou. Leslei era parente de um oficial e saberia que é estranho um bombeiro dirigindo uma Kombi se apresentar como tal. Além das roupas: uma calça xadrez e jaqueta azul marinho. Ao chegar em casa, comunicou o ocorrido ao pai, chefe dos detetives policiais de Jacksville. Ela informou que anotara o número da placa da Kombi dirigida por Bundy.

Ao checar a placa do veículo, o detetive James Parmenter descobriu tratar-se de um carro roubado. Ele levou seus dois filhos para uma delegacia, onde eles viram fotografias. Os dois menores reconheceram Ted Bundy como sendo o homem que guiava a Kombi branca. A essa altura, Bundy já havia roubado outro carro, e seguia rumo à Pensacola, Flórida. O oficial David Lee estranhou o fusca laranja pela redondeza e verificou a placa, o carro era roubado. Imediatamente, o fusca foi seguido.

Nova prisão.

A cena de Utah se repetiu: Bundy saiu em disparada, parando mais a frente. David Lee aproximou-se do suspeito. Nesse momento, Ted Bundy atracou-se com o oficial e lutou. Quando ele conseguiu livrar-se de Lee, David atirou na direção de Bundy, que caiu. Davi Lee imaginou ter acertado o sujeito, ao aproximar-se, Bundy atracou-se outra vez em luta corporal. Bundy foi finalmente contido e levado preso.
Ted Bundy, depois de recapturado.

Ao longo dos meses, após a detenção de Bundy, investigadores conseguiram levantar evidencias que o ligavam ao seqüestro e assassinato de Kimberly. Na Kombi roubada havia inúmeras evidências que ligavam Ted ao assassinato de Kimberly Leach, como fios de cabelos, pegadas e sangue no tapete do veículo. Havia também resíduos de sêmem em uma roupa de Kimberly. O DNA do sêmem era compatível com o de Ted Bundy.


Ted é julgado novamente.

Em 31 de Julho de 1978, Ted Bundy foi acusado pelos assassinatos de Leach, Levy e Bowman. Ele passaria por dois julgamentos em três anos. O primeiro julgamento ocorreu em 25 de junho de 1979, em Miami, Flórida. O julgamento foi centrado nos ataques na Chi Ômega. O outro julgamento seria no dia 17 de janeiro de 1980, onde Ted responderia pelo assassinato de Kimberly Leach. Ambos os julgamentos tiveram um grande peso na condenação de Bundy, mas foi o caso da Chi Ômega que mais contou.

Julgamento em Miami.

O julgamento pelo caso da Chi ômega atraiu um grande interesse público e a atenção da mídia. Foi um verdadeiro Frenesi. Ted era suspeito de mais de 30 assassinatos em quatro estados diferentes. Seu nome e sua imagem viraram sinônimos de pesadelo em todo o país. Ele era como a imagem do mal encarnado, um monstro e seus assassinatos forma um dos casos mais divulgados da década.

Ted fez sua própria defesa, apesar de um grupo de 5 advogados ser designado para defendê-lo, ele estava muito autoconfiante de suas habilidades judiciais. O júri, composto em sua maioria por afro-americanos observou que a luta de Bundy estava praticamente perdida.

Bundy confiante, durante seu julgamento em Miami.

O júri foi influenciado por dois eventos importantes, o primeiro foi o depoimento de Nita Neary, ela alegou que o homem que vira deixando a fraternidade na noite do crime foi Ted. Outro depoimento importante foi o do Dr. Richard Souviron, especialista em odontologia. Ele apresentou uma analise feita na marca de mordida encontrada em uma das nádegas de Lisa Levy. Elas eram idênticas à arcada dentária de Ted Bundy. Enquanto o Dr. Souviron falava, eram mostradas ao júri, fotos das marcas deixadas na nádega de Lisa em comparação com fotos da arcada dentária de Bundy. Não havia dúvida de que Ted era o dono da mordida.

Close nos dentes de Ted Bundy.

Foto da arcada dentária de Ted Bundy

Comparação da mordida de Ted com a marca encontrana na nádega de uma de suas vítimas.
As nádegas de Lisa



Em 23 de julho de 1979, Ted Bundy foi considerado culpado pelos assassinatos de Lisa Levy e Margareth Bowman e também dos ataques contra Kathy Kleiner e Karen Chandler. Ele aguardou a decisão, que demorou sete horas, em sua cela. Louise Bundy clamou pela vida do filho, mas de nada adiantou. Ted continuou alegando inocência, afirmando que todo o veredicto foi baseado em preconceitos de mídia. Ele disse não poder aceitar essa farsa. De acordo com Larser, Ted afirmou que foi silenciado e disse achar um absurdo pedir clemência por algo que ele não fez. O juiz Cowart, que presidiu o julgamento proferiu a condenação: duas penas de morte na cadeira elétrica pelos assassinatos de Lisa Levy e Margareth Bownam.

Ted Bundy perde a calma após ouvir sua sentença.
   
Julgamento em Orlando.

Após atrasos, o julgamento pelo assassinato de Leach começou  em 7 de janeiro de 1980, em Orlando, Flórida. Desta vez Bundy contava com a defesa de Júlio Africano e Thompson Lynn. O principal argumento da defesa era da insanidade de Ted. Em um momento do julgamento, após ouvir uma testemunha de acusação, Bundy perdeu a calma e levantou-se gritando, o que foi considerado apenas fingimento para dar mais credibilidade para a versão de insanidade. Ted descontrolou-se depois de perceber que estava perdendo o jogo.

George "Bob" Dakle.

O promotor Bob Dekle apresentou 65 testemunhas de acusação que ligaram Bundy direta e indiretamente ao desaparecimento e morte de Leach. Uma das testemunhas afirmou ter visto um homem parecido com Ted na companhia de uma menina que era semelhante a Leach em uma Kombi branca, em frente a escola da menina. A defesa no entanto, questionou o homem, que não se lembrava exatamente do dia e hora em que vira Kimberly dentro da Kombi dirigida por Bundy.

Ted Bundy sendo julgado em Orlando.

Dekle apresentou mais provas contra Bundy, incluindo as fibras das roupas e fios de cabelo de Leach, que foram encontrados no carro de Bundy. Na verdade, a evidência dos fios e das fibras foi um duro golpe na defesa de Bundy. Os jornalistas Michaud e Aynesworth, alegaram que os depoimentos foram fatais para a defesa de Bundy.

Um mês após a abertura do julgamento, o Juiz Wallace Jopling pediu a deliberação do júri. O júri, formado por sete mulheres e cinco homens anunciou seu veredicto: culpado. O veredicto foi seguido por júbilo pelo ministério público.

Casamento.

Em 9 de fevereiro, dois anos depois da morte de Leach foi o dia em que a sentença seria anunciada. Durante o testemunho de Carole Ann Boone, testemunha de defesa, algo curioso ocorreu: Carole e Ted trocaram alianças. Segundo as leis da Flórida, qualquer promessa verbal, feita sob juramento, é tida como válida. Ted e Carole estavam legalmente casados, mas eles não puderam ter uma lua de mel. Poucas horas depois do depoimento de Carole, Ted foi condenado, mais uma vez, à morte, dessa vez pelo caso do assassinato de Kimberly Leach. Ted foi para o corredor da morte da penitenciária Raiford, do estado da Flórida.

Carole Boone.
Ted acreditava que ainda teria chance de evitar sua execução. Em 1982 ele entrou com um pedido para recorrer da sentença do julgamento pelo caso Chi-Ômega, mas o pedido foi negado. Ted tentou então recorrer pelo caso de Kimberly Leach. Em maio de 1985 seu pedido foi novamente negado. Bundy continuou tentando evitar sua execução, para isso, contava com a ajuda de seus advogados. A execução estava prevista para 4 de março de 1986, mas Polly Nelson, advogado de defesa de Bundy na época apelou para que o caso fosse revisto. O recurso foi novamente negado. O último apelo ao Supremo Tribunal dos EUA foi negado em 17 de janeiro de 1989.

Ted confessa.

Próximo à data da execução, Ted Bundy confessou mais 8 de seus crimes para o investigador chefe da Procuradoria Geral de Washington, Dr. Bob Keppel. Bundy adquiriu uma imensa confiança em Keppel, após vê-lo em ação, na procura por corpos de suas vítimas. Bundy decidiu auxiliar nas investigações, na esperança de não ser executado. Bundy disse que haviam cinco corpos na montanha Tyler, e não 4; o quinto corpo seria de Donna Manson. Bundy também confessou o assassinato de Georgeann Hawkins. O terceiro fémur encontrado próximo ao local onde se encontrou os corpos de Janice e Denise era de Hawkins. Keppel entrou na sala de Bundy, apenas com um gravador de voz e ouviu atônito os relatos sobre as mortes. Bob afirmou que Bundy aparentava ter nascido para matar.

Ao descreveu a cena do crime de Janice e Denise, Bundy parecia relembrar o crime, como se estivesse no parque matando novamente. Ted Bundy acreditava que sua pena seria comutada em prisão perpétua, se confessasse os crimes. A defensora legal de Bundy, Linda Barker, pediu que as famílias das vítimas, principalmente das quais os corpos não foram encontrados, para enviarem fax para o governardor da Flórida, pedindo clemenciapara Bundy. Em troca, Bundy revelaria onde estaria todos os corpos. A manobra falhou, pois apenas uma das famílias das vítimas enviaram a carta.

Ted Bundy manteve em sua casa cabeças de algumas vítimas, como troféus. Ele também afirmou ter praticado atos de necrofilia com algumas de suas vítimas. Sua compulsão levou dezenas de mulheres à morte e estima-se que a contagem oficial, 37, seja bem menos que o real. Keppel declarou no livro The Riverman: Ted Bundyand I Hunt for the Green River Killer que Ted sofria necrofilia compulsiva e perversão extrema. Na última refeição, Ted comeu ovos fritos, bife, torradas e café.

Depois de muitas apelações, Theodore Robert "Ted" Bundy, foi eletrocutado às 7:00 da manhã de 24 de janeiro de 1989, com 42 anos de idade. Suas ultimas palavras foram dirigidas à mãe. Do lado de fora, uma multidão gritava e ostentava cartazes com os dizeres "Frite, Bundy, frite!" ou "Vire churrasco Ted". Apos a informação que Bundy estava morto, a população aplaudiu, fogos de artifícios foram soltados. A mídia acompanhava o caso de perto. Quando um carro fúnebre, de cor branca, deixou a prisão, a multidão aplaudiu.

Bundy, um pouco antes da execução.
Corpo de Ted Bundy, no necrotério.


O corpo sem vida de Ted Bundy

Ted nunca indicou a localização de todos os corpos de suas vítimas. Ele confessou 23 assassinatos, mas é suspeito de pelo menos outros 15. Muitos de seus segredos morreram com ele.
Mascarado acompanha a execução pelo lado de fora com uma camisa escrito "Queime Bundy".

O caso de Kathy Devine.

Em 6 de dezembro de 1973, um casal se deparou com os restos mortais de Kathy Dvine, de 15 anos de idade em McKenny Park, Washington. Ela havia desaparecido em 25 de novembro, após pedir carona em Seatle, Oregon, após fugir de casa. Alguns amigos a viram sair.

Médicos legistas afirmaram que Kathy foi sodomizada, estrangulada e teve a garganta cortada. O modo e a época em que o corpo foi localizado, levaram muitas pessoas a acreditarem que Bundy foi o responsável pela morte de Kathy. Ela chegou a ser incluída na lista das vítimas, mas 28 anos depois, evidências de DNA mostraram que todos estavam errados. As roupas de Kathy foram mostradas em um programa de televisão, uma calça foi reconhecida pela irmã dela
Kathy Devine.
Kathy foi vítima de William E. Cosden Jr. .Cosden vivia nas proximidades de onde Devine sumiu. Ele trabalhava em um estacionamento e testemunhas viram quando ele chegou com sangue em suas roupas. A polícia foi chamada. Depois de deixar a parada de caminhão, o caminhão de Cosden incendiou-se misteriosamente.
Wilian Cosden.
Cosden havia sido liberado de um manicômio judiciário, onde havia sido preso condenado pelo assassinato de uma mulher em 1967. Em 1986, um mandado  foi feito para se obter sangue, saliva e fios de cabelos de Cosden. Em 2001, foi feita a comparação. Descobriu-se que o DNA de Cosden era idêntico ao encontrado no corpo de Kathy. Na ocasião, Cosden estava preso por estupro. Ele admitiu ter feito sexo com Kathy, mas negou ter assassinado a jovem.

Sally Ann Devine, mais de Kathy declarou: “Ela era bonita por dentro e por fora, mas ela era perturbada. Eu acho que ela tinha mais problemas que qualquer outra pessoa na sua idade durante essa época. É bom saber que tudo foi resolvido. Já se passaram 28 anos, eu ainda penso que isso é um sonho, e que vou acordar a qualquerais problemas que qualquer outra pessoa na sua idade durante essa época. É bom saber que tudo foi resolvido. Já se passaram 28 anos, eu ainda penso que isso é um sonho, e que vou acordar a qualquer momento!”

Bundy, o artista.

Além da boa aparencia física e sua notável inteligência, Ted Bundy também tinha habilidade na hora de fazer desenhos:


 

Auto retrato.

























13 comentários:

  1. ele deveria ter sido entregue a multidao assim sofreria mais nas maos dos parentes e amigos das vitimas frite bundy frite.

    ResponderExcluir
  2. nossa ele comeu muita mina hein?
    inveja

    ResponderExcluir
  3. Grande Ted! Voce tem o meu respeito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que espécie de pessoa é você que respeita alguém sem nenhum princípio moral e narcisista? você é tão doente quanto ted bundy. imagino que você deve ser mais um pedaço de lixo branco que infesta a nossa sociedade. maldito seja!

      Excluir
    2. Que tipo de pessoa você é? Como pode falar isso? Você viu o que ele fez com todas essas pessoas? Todas essas meninas que não tinham culpa de seu passado sombrio. Ele era um louco. Pense bem, algumas tinham marido e filhos, outras irmãos e irmãs, outras tinham grandes sonhos. Ele acabou com todas! Ele as matou de uma maneira injusta.

      Eu não te conheço mas digo uma coisa: Você é a pessoa mais estúpida que existe nesse mundo. Você é ridículo(a). Do que adianta discutir com uma pessoa que não tem nada na cabeça. Tão inútil que com certeza não sabe lavar nem um prato. A pessoa mais fútil que tem.

      Excluir
  4. Que judiação..Pena de morte pro cara.Daria no maximo perpetua..

    ResponderExcluir
  5. Meu serial killer preferido *-* perfeeito <3

    ResponderExcluir

  6. Nossa a história desse cara ta completa em seu post, até seus desenhos, incrível!
    Continue com o ótimo site e o bom trabalho!
    Se der, dê uma olhada, tenho um post sobre esse serial killer em meu blog:
    http://lendasurbanas66.blogspot.com/2013/12/ted-bundy-historia-completa-do-serial.html

    Abraços e mais uma vez, parabéns pelo site!

    ResponderExcluir
  7. Se você é mulher sua empatia pelas vitimas é maior. Me dói um pouco ler alguns comentários, as pessoas acham que tudo não passa de um jogo ou não, não é? O serial killer muitas vezes é tão aplaudido né, "oh que grandiosidade", nem mesmo as fotos de corpos mutilados são capazes de atingir algum respeito pelas vitimas. E realmente não sei como esse meu discurso pode ser exagerado nessas condições, pois é o que a maioria pensará.

    ResponderExcluir
  8. Sei q ele foi um serial killer e tal, tirou mts vidas tbm.. mas sempre achei ele um gato!!!!!!! Nossa ele era mt bonito,mt msm!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria ver se vc iria achar ele lindo se tivesse te comido torturado e matado.

      Excluir
    2. Sua puta de psicopata

      Excluir